Controle de plantas daninhas na pré-semeadura de inverno

Publicado em 12 de junho de 2018

Comentário(s)

Uma das operações mais importante na pré-semeadura de inverno é o controle plantas daninhas para evitar infestações futuras. As sementes de plantas daninhas podem germinar após a colheita das culturas de verão e se desenvolver antes da semeadura de inverno. As sementes de soja resistente ao herbicida glifosato, resultante das perdas de colheita mecanizada, também originam plantas que se constituem em planta daninha importante e devem ser controladas antes da semeadura.

As principais plantas daninhas gramíneas existentes em lavouras de inverno da Região Sul são o azevém e a aveia preta. Já entre as folhas largas de maior ocorrência estão espécies como nabo ou nabiça, ervilhaca, cipó-de-veado,  erva-de-bicho, língua-de-vaca, flor roxa, erva salsa, serralha, silene e gorga. Como o número de moléculas de herbicidas registradas para controle (dessecação) de plantas daninhas antecedendo a semeadura de cereais de inverno é considerado pequeno, o produtor precisa ficar atento a plantas resistentes aos herbicidas. A ocorrência de buva, capim amargoso e azevém resistentes ao glifosato e nabo resistente aos inibidores da ALS tem sido problemas recorrentes nas lavouras.

A dessecação da área deve ser realizada entre 20 e 30 dias após a colheita de verão, tempo necessário para que as plantas daninhas desenvolvam área foliar suficiente para absorver o herbicida. “A aplicação dos herbicidas deve ser realizada com antecedência de 15 a 30 dias da semeadura de inverno. Se houver ‘escape’ de plantas da primeira aplicação, ainda é possível fazer uma segunda aplicação dois dias antes da semeadura”, orienta o pesquisador Leandro Vargas, lembrando que, sob chuva intensa logo após a aplicação, principalmente em solos de textura arenosa e com níveis de matéria orgânica abaixo de 2%, alguns herbicidas podem causar fitotoxicidade às culturas de inverno. Ainda, o controle de plantas daninhas resistentes deve contar com herbicidas com diferentes mecanismos de ação ou mesmo capina manual.

Fonte: Embrapa




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC