Preço do boi atinge o menor valor em quatro anos

Publicado em 12 de junho de 2017

Comentário(s)

Em maio, os preços da arroba de boi gordo recuaram 4,63%, a queda mais significativa para esse mês desde 1998, considerando-se a série histórica do Indicador ESALQ/BM&FBovespa, estado de São Paulo. As informações são do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), da Esalq/USP.
 
Segundo pesquisadores do Cepea, a forte desvalorização da arroba bovina em maio de 2017 está atrelada à maior oferta de animais para abate, devido à retomada da produção, após a seca observada em 2013/2014, e à diminuição no abate de matrizes. Já no correr deste ano, com a queda do preço do bezerro, houve aumento na participação das fêmeas no abate, ajudando a indústria a preencher as escalas e, consequentemente, pressionando o valor da arroba. Pesquisadores do Cepea ressaltam, no entanto, que a queda nos preços do boi ainda foi limitada pelas chuvas, que se estenderam ao longo de maio. Isso porque, com o clima favorecendo as pastagens, muitos pecuaristas podem “segurar” seus animais no pasto.
 
Quanto à demanda, a economia brasileira não tem apresentado sinais de recuperação suficientes a ponto de elevar o consumo da proteína, enquanto as exportações da carne bovina in natura vêm registrando fortes quedas mensais – o volume embarcado de janeiro a maio deste ano está 10% inferior ao do mesmo período de 2016, segundo a Secex. Além disso, pesquisadores do Cepea lembram que o setor enfrentou três grandes desafios neste ano: a operação Carne Fraca, da polícia federal, a volta da cobrança do Funrural e, recentemente, as investigações de uma indústria de grande relevância para o setor. 
 
MAIO – O mês de maio é, tradicionalmente, um período em que as cotações recuam. Aproximadamente 90% dos animais abatidos no Brasil são terminados com alimentação exclusivamente a pasto. De acordo com pesquisadores do Cepea, com o início da seca, que costuma ocorrer neste mês, o volume de animais prontos para abate é maior. Além disso, a redução da oferta de forrageiras faz com que o pecuarista esteja mais disposto a vender seus animais, ao invés de mantê-los no pasto com a possibilidade de perder peso. 
 
Considerando-se dados do Cepea, em maio do ano passado, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo subiu ligeiro 0,05% e, em maio de 2015, teve queda de 1,74%. Com exceção de 2017, a queda mais intensa nos preços do boi em maio havia sido verificada em 2011, de 4,5%. 

Fonte: Cepea




Comente


Leia também

Conhecer para Cooperar

02 de setembro de 2016

Dia Nacional do Campo Limpo envolve 1.200 crianças em Chapecó

18 de agosto de 2016

Cooperalfa reuniu quadro de lideranças em agosto

14 de outubro de 2016

Gestão das propriedades em Ipuaçú

23 de agosto de 2016

As oportunidades da crise

01 de setembro de 2016

Identificada nova praga de pastagens em Santa Catarina

23 de agosto de 2016

Cooperalfa inicia o ano do seu cinquentenário

05 de janeiro de 2017

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC