Entre trilhas e caminhos: a importância do tropeirismo no desenvolvimento de Chapecó




Durante o 23º Campo Demonstrativo Alfa – CDA, realizado entre os dias 22 e 24 de janeiro de 2019, na Linha Tomazelli, Chapecó/SC, foi lançada a exposição fotográfica “Entre trilhas e caminhos: a importância do tropeirismo no desenvolvimento de Chapecó”. A mostra tem como objetivo analisar de que forma a história do tropeirismo e da agroindústria se confunde e se completa com a trajetória de muitas famílias migrantes. A roda de chimarrão e o churrasco de fogo de chão são apenas algumas das tradições tropeiras que enraizaram na cultura de Chapecó. E a suinocultura, que compõe a base econômica do oeste catarinense, conseguiu envolver muitos sujeitos e, por esse motivo, se tornou tão importante para a formação e organização do território chapecoense, hoje a Capital Nacional da Agroindústria. Foram 7106 visitantes do CDA, e no estande da exposição passaramcerca de duas mil pessoas. Este projeto foi contemplado no Edital Municipal de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas de Chapecó 2018.



Guerra do Contestado: 100 anos de memórias e narrativas




Entre os dias 2 e 4 de outubro de 2018, no Centro de Eventos de Bela Vista do Toldo/SC, o Centro de Memória Alfa/MaxiCrédito – CEMAC, realizou atividades educativas sobre a Guerra do Contestado com alunos da rede municipal de ensino, em parceria com a unidade da Cooperalfa daquela cidade e a Secretaria Municipal de Educação.


Ao longo dos três dias, cerca de 500 alunos das escolas municipais Terezinha Correa Agostinho, Paulo Schiessl e João Batista Pontarolo participaram de diversas atividades. A ação só foi possível graças a várias parcerias: a exposição fotográfica “Guerra do Contestado: 100 anos de memórias e narrativas”, foi emprestada pela Fundação Catarinense de Cultura; as maquetes foram cedidas pela Prefeitura Municipal de Mafra (SC); o jogo “Nos Trilhos do Contestado”, foi desenvolvido pelo coordenador pedagógico André Luiz Bêber de Souza; os desenhos para colorir são de autoria do artista Hassis e a cartilha, “Conte o Estado”, de autoria de Alexandre e Rafael Sucharski, de União da Vitória (PR). As atividades tiveram um impacto muito positivo e oportunizaram uma maior reflexão sobre o passado e o presente da Guerra do Contestado.



"Era tudo mato"




“Era tudo mato...” São vários os relatos que utilizam essa expressão para descrever as paisagens encontradas na região Oeste Catarinense no início do século XX. Os recursos naturais eram considerados inesgotáveis e foram explorados gradativamente ao longo das décadas. Você já parou para pensar as consequências das atividades humanas na biodiversidade da região? 


Pensando nisso, durante a Primavera dos Museus 2018, o CEMAC exibiu no hall de entrada do Super Alfa Chapecó a exposição fotográfica concebida pelo CEOM/Unochapecó, “Era Tudo Mato: impactos da atividade humana na biodiversidade ao longo da história do Oeste Catarinense”. A exposição busca promover a reflexão sobre essa questão, possibilitando compreender os efeitos da ação humana sobre o patrimônio natural da região, sempre considerando o contesto temporal e espacial dos sujeitos envolvidos em relação ao meio ambiente, seus usos e conservação.


Foram mais de 17 mil pessoas que passaram pela exposição entre os dias 17 e 25 de setembro. A mostra também foi exibida no SuperAlfa Xaxim entre os dias 28 de setembro e 09 de outubro, onde recebeu mais de 16 mil visitantes.  



IV Noite de Cinema




A IV Noite de Cinema, realizada no dia 23 de maio de 2018, com a exibição do documentário “Atingidos Somos Nós”, fez parte da programação da 16ª Semana Nacional de Museus. O tema de 2018, “Museus hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”, propôs uma aproximação das instituições com seus públicos, tanto pelo viés tecnológico quanto por outras conexões. O evento teve também a presença da diretora do documentário, Carmem Giongo; da Margot Filmes, co-produtora do filme e da família Kemmrich, de Paial/SC, cujas terras foram atingidas pela barragem de Itá e também de Águas de Chapecó.  “Atingido Somos Nós" é uma produção independente, que narra histórias de vida e os impactos da construção de hidrelétrica de Itá/SC. No vídeo, são apresentadas narrativas dos agricultores que permaneceram vivendo no entorno do reservatório após a construção da obra no ano 2000 e presenciaram o desaparecimento de suas comunidades. O filme é fruto da tese de doutorado de Carmem Giongo, desenvolvida na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, junto ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional.



Chapecó de ontem e hoje: imagens de uma trajetória centenária




Em 2017, em comemoração ao centenário de Chapecó, o CEMAC foi parceiro do CEOM/Unochapecó na organização da exposição fotográfica “Chapecó de Ontem e Hoje: imagens de uma trajetória centenária”, lançada em agosto de 2017. Também foram parceiros no projeto o Museu de História e Arte de Chapecó e a Universidade Federal da Fronteira Sul-UFFS. A exposição mostra através de fotografias, o desenvolvimento da cidade e as transformações ocorridas ao longo do tempo. Além de ficar em cartaz no Unochapecó, no CEOM, no Shopping Pátio Chapecó e na Universidade Federal da Fronteira Sul, a mostra ficou exposta no Super Alfa entre os dias 24 e 28 de agosto, atingindo um público de 6700 pessoas. 



III Noite de Cinema




No dia 18 de maio de 2017, o CEMAC realizou a III Noite de Cinema, com a exibição do filme "Brava gente italiana, a saga da imigração italiana no Brasil, contada por seus descendestes". O evento integrou a programação da 15° Semana Nacional de Museus, promovida pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM) em comemoração ao dia Internacional dos Museus. Realizado no auditório do Centro Administrativo do Sicoob MaxiCrédito, o evento contou com a participação especial do Coral de Chapecó. Após a exibição do filme, o diretor Sérgio Sbragia conversou com o público sobre a produção do longa e as características da cultura italiana que vem sendo resignificados ao longo do tempo. O público se encantou com as histórias e, muitas vezes, se identificou com as vivências das famílias entrevistadas. Um coquetel com comidas típicas da culinária italiana fechou a noite.



Cooperação como Herança



​                                                                              Cooperação como Herança no CDA Chapecó 2017


A exposição fotográfica Cooperação como Herança foi idealizada em dois formatos: painéis de PVC e banners.  A versão em banners circulou pelas escolas e foi composta por 25 imagens. Em painéis de PVC foi elaborada a partir de 72 imagens. Em ambas as versões, foram apresentadas imagens e documentos que retratam as transformações da agropecuária e do cooperativismo em Santa Catarina nos séculos XX e XXI, além de retratos dos 50 anos da Cooperalfa, completados em 2017. Financiada pela Lei de Incentivo à Cultura, Lei Rouanet, o projeto teve patrocínio da Cargill/Nutron. Durante o ano de 2017, participou de vários eventos e circulou por 83 escolas de 61 municípios de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, atingindo um público de mais de 75 mil pessoas.



Cooperação como Herança


                                                                      Cooperação como Herança no Colégio Estadual Irineo Evangelista de Souza, de Erebango, RS



O Oeste catarinense pelas lentes de Fritz Plaumann



Compondo a programação da Primavera dos Museus 2016, o Centro de Memória Alfa/MaxiCrédito – CEMAC, recebeu entre os dias 16 e 25 de setembro, no Superalfa Chapecó a exposição “Entre o estranhamento e a fascinação: o Oeste catarinense pela lente de Fritz Plaumann”, elaborada pelo Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina-CEOM, em parceria com a Prefeitura de Seara-SC. Como um dos poucos fotógrafos da região na primeira metade do século XX, seus registros são raridade e mostram uma região que teve sua paisagem intensamente modificada no século XX. Durante os 10 dias em que a exposição esteve no Superalfa, atraiu os olhares de cerca de oito mil pessoas.



II Noite de Cinema



O CEMAC participou da Semana dos Museus 2016, com a realização da II Noite de Cinema no auditório do Sicoob MaxiCrédito em Chapecó-SC. No dia 19 de maio foi exibido o documentário “Walachai”, com posterior debate com a diretora do filme Rejane Zilles. Cerca de 150 pessoas participaram. Com roteiro e direção de Rejane Zilles, o filme retrata a localidade de  Walachai e comunidades próximas. Povoados do Sul do Brasil, cujos descendentes de imigrantes alemães têm como língua corrente um antigo dialeto que já se perdeu na Alemanha de origem. Localizada a 70 km de Porto Alegre, esta pequena localidade resiste à passagem do tempo, em contraste com a vida urbana, apesar da proximidade das cidades. O lugar preserva uma cultura própria, arquitetura e idioma que, lentamente, começam a ser modificados pelas novas gerações.



Nessas águas escrevi minha história: narrativas das marges do Rio Uruguai



O CEMAC participou da Primavera dos Museus de 2015, recebendo a exposição “Nessas águas escrevi minha história: narrativas das margens do Rio Uruguai na área de abrangência da UHE Foz do Chapecó SC/RS”. As imagens foram expostas no Superalfa Chapecó entre os dias 19 a 28 de setembro de 2015, com a circulação de aproximadamente 8.000 pessoas. A exposição foi produzida pelo Centro de Memória do Oeste de Santa Catarina (Ceom), em parceria com a Scientia Consultoria Científica e o Consórcio Foz do Chapecó. Composta por imagens e depoimentos, a mostra retratou o cotidiano e as lembranças das pessoas que viviam no entorno do rio Uruguai. Os recortes, elaborados a partir dos depoimentos de moradores da região, abordam temas como trabalho, relações sociais, lazer, memórias, religiosidade, causos e lendas locais, o rio Uruguai, estações do ano, paisagens e lugares.



​Chapecó: transformações urbanas




Durante a Semana dos Museus de 18 a 24 de maio de 2015, o CEMAC recebeu no Superalfa Chapecó a exposição “Chapecó: Transformações Urbanas”, um retrato das transformações ocorridas na cidade de Chapecó, Santa Catarina. A exposição foi elaborada pelo CEOM/Unochapecó.  Circularam pela exposição cerca de 5 mil pessoas.



I Noite de Cinema



Em comemoração à Semana dos Museus em maio de 2015, o CEMAC realizou a I Noite de Cinema em Chapecó, Santa Catarina. No dia 19 de maio foi exibido o documentário “O Goio-En Transbordou”, de Cassemiro Vitorino e Ilka Goldschmidt, da Margot Produções. O documentário, com 70 minutos de duração, traz a voz de moradores e ex-moradores do Porto Goio-En, contando suas vivências e memórias, alegrias e tristezas num lugar marcado por transformações ligadas às águas do rio Uruguai. Além da exibição do documentário, houve participações especiais de Cassemiro Vitorino, um dos diretores do documentário, respondendo a perguntas sobre o filme; Ladislau Stormovski, falando de sua experiência como balseiro e sobre seu pai que fez mais de 100 viagens nessa função de extremo risco e ousadia; Antônio Sebastião Schneider, associados da Cooperalfa e conselheiro de administração do Sicoob MaxiCrédito, também explanou sua experiência como balseiro.



CDA 20 anos



Em 2015, quando o Campo Demonstrativo Alfa completou 20 anos de história, o CEMAC elaborou a exposição “CDA 20 anos”. A mostra contou a trajetória do maior evento técnico da Cooperalfa e como este auxiliou na difusão de novas tecnologias na agricultura e na pecuária. Cerca de 15 mil pessoas passaram pelos eventos, realizados entre janeiro e fevereiro de 2015 nas cidades de Chapecó e Bela Vista do Toldo, Santa Catarina.



Concurso para logomarca e slogan do CEMAC



Em 2013 foi realizado concurso interno para criação da logomarca e sigla do Centro de Memória da Cooperalfa e do Sicoob MaxiCrédito. Participaram mais de 200 colaboradores de ambas as cooperativas, enviando cerca de 400 propostas. O slogan “Quem coopera faz história”, proposto por Elaine Massi (RH Cooperalfa) e Suzieli Pedroso (Contabilidade Cooperalfa) foi o selecionado. A sigla escolhida foi CEMAC (Centro de Memória Alfa/MaxiCrédito), sugerida por  Agnaldo Grando (Filial Cooperalfa de Bom Jesus), Sandra Antunes (Contabilidade Cooperalfa) e Gabriela Biasus (Sicoob MaxiCrédito Agência Xaxim).



Nomes que valem uma nota



O Sicoob MaxiCrédito recebeu a exposição fotográfica “Nomes que valem uma nota”, organizada pelo Sicoob Central SC, com o apoio do Banco Central do Brasil. Foram expostos 18 painéis com todos os 43 personagens – homens e mulheres – estampados no dinheiro brasileiro, e uma mini biografia de cada um. A exposição ficou aberta à visitação de 03 de maio a 01 de junho de 2013 na agência Pioneira do Sicoob MaxiCrédito e do Superalfa Chapecó. Foram recebidos 300 alunos de cinco escolas municipais de Chapecó para visitas. Os estudantes visitaram a exposição, uma pequena mostra de dinheiro e moedas antigas, além das instalações das cooperativas, compreendendo melhor seu funcionamento. No total, passaram pela exposição cerca de 15 mil pessoas.




​Retratos da Evolução




“Retratos da Evolução” foi organizada com o objetivo de promover uma reflexão sobre as mudanças da agropecuária nas últimas décadas. Essa exposição fotográfica foi exposta no Campo Demonstrativo Alfa – CDA, maior evento técnico da Cooperalfa. Teve visitação de aproximadamente 13 mil pessoas em sete dias de evento em Chapecó e Bela Vista do Toldo/SC, em janeiro e fevereiro de 2013.



​História & Memória: Alfa / MaxiCrédito




A exposição fotográfica “História & Memória: Alfa/MaxiCrédito” sintetizou os dois anos do convênio entre o CEOM/Unochapecó, Cooperalfa e Sicoob MaxiCrédito. O Ceom prestou assessoria para as cooperativas para o início do trabalho de organização e promoção dos seus acervos históricos. A exposição mostrou algumas imagens da trajetória da Cooperalfa e do Sicoob MaxiCrédito que foram organizadas durante o trabalho. Lançada em novembro de 2012, ficou exposta durante 12 meses no hall de entrada do CEMAC. Recebeu em torno de três mil visitas de colaboradores e visitantes externos.


Receba novidades da Cooperalfa

Contatos Cooperalfa

Contatos dos setores

Trabalhe na Cooperalfa

Ligar para matriz
(049) 3321-7000

Av. Fernando Machado, 2580-D
Passo dos Fortes
Chapecó / SC